Viva São Paulo

Ano Novo Chinês. Foto: Divulgação.

O roteiro começa um pouco antes da Liberdade a partir do metrô Sé, na Praça João Mendes, (nº 108) para visitar a Paróquia Nossa Senhora da Assunção e São Paulo e Paróquia Pessoal Nipo – Brasileira de São Gonçalo, construção do século XVIII tombada em 1971 pelo CONDEPHAAT. Com missas rezadas em japonês, aos domingos, pela manhã, em horário específico, tem sua origem ligada à Irmandade Nossa Senhora da Conceição e São Gonçalo, que morreu pregando o Evangelho no Japão em 1597.

Saindo da igreja à direita, conheça uma das mais antigas padarias da cidade, a Santa Tereza (nº 150), desde 1872 com cardápio variado, servido nos dois pisos do prédio. Continue em frente e, virando à direita, já visualizará um pouco mais adiante o bairro da Liberdade, um dos cartões postais mais visitados da cidade, que possui as mais variadas opções de gastronomia, compras e cultura, além da arquitetura inspirada na tradição oriental.

Bairro da Liberdade. Foto: José Cordeiro/SPTuris.

Um dos pontos principais do roteiro é a Praça da Liberdade, palco de diversas comemorações ao longo do ano, como o Ano Novo Chinês, Hanamatsuri, Tanabata Matsuri, entre outros, e da Feirinha da Liberdade, com souvenirs diversos, comidas nipônicas e brasileiras aos finais de semana. A praça também tem acesso ao metrô Liberdade, é cercada de lojinhas, restaurantes e a Igreja Santa Cruz das Almas dos Enforcados (nº 238), construção simples da segunda metade do século XIX que mantém até hoje um velário onde os fiéis depositam suas velas.

Continue pela Rua dos Estudantes, local que já abrigou as antigas pensões dos estudantes do Largo São Francisco e hoje oferece lojas de utensílios domésticos diversos. Aproveite para saborear doces, pães, pastéis no caminho e visualizar também a Capela dos Aflitos, no final do Beco dos Aflitos, ponto do extinto Cemitérios dos Aflitos, que parou de realizar sepultamentos com a inauguração do Cemitério da Consolação.

Retorne até a Rua Galvão Bueno, local com maior concentração de lojas diversas com venda de cosméticos, artigos para casa e principalmente mercadinhos com produtos orientais, enfeitada pelo tori, grande pórtico vermelho e pelas lanternas japonesas. Todo o bairro oferece vários restaurantes com culinária típica, karaokês, destacando-se também a Tomás Gonzaga, pequena rua entre a Av. Liberdade e a Rua Galvão Bueno e a Rua da Glória.

Continue pela Rua Galvão Bueno até a esquina com a Rua São Joaquim para visitar o Museu Histórico da Imigração Japonesa (nº 381), localizado nos últimos andares do prédio do Bunkyo, Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e conhecer a maquete do navio Kasato-Maru, que trouxe os primeiros imigrantes japoneses até o Porto de Santos, em 1908, além de documentos e fotos dessa chegada ao Brasil (consulte horário de visitação).

Na mesma rua do museu está o Templo Budista Busshinji (nº 285), sede oficial da Escola Soto Zen de Budismo na América do Sul e templo do Coração-Mente de Buda, com horários específicos para a prática de meditação, inclusive para iniciantes e visitas ao templo sob consulta e pré-agendadas. Seja para comer de hashi, comprar um souvenir de inspiração oriental, cantar nos karaokês ou apenas conhecer um pouco mais das peculiaridades desse bairro, a Liberdade sempre terá uma novidade, uma festa típica e suas ruas enfeitadas e iluminadas para te receber.

Nossos Parceiros Estratégicos
Logo ABIH
Logo Sindicato Estadual dos Guias de Turismo de São Paulo – SINDEGTUR SP
Logo ABTLGBT
Logo Comtur
Logo São Paulo Convention & Visitors Bureau
Logo Turismo Sustentável e Infância
Logo Aprecesp